Tenente arapiraquense assassinado dentro de ônibus não reagiu a assalto

  • Redação
  • 03/04/2012 06:48
  • Polícia
Arquivo Pessoal / Facebook
Tenente Cavalcante

O tenente da reserva da Polícia Militar de Alagoas, Manoel Cavalcante da Silva, de 56 anos, assassinado na última segunda-feira nas imediações da cidade de Campo Alegre, dentro de um ônibus da Real Alagoas que fazia linha Maceió/Arapiraca, não reagiu ao assalto. A afirmação partiu de testemunhas que estavam dentro do coletivo.

De acordo com informações, Cavalcante preferiu pagar passagem e se dirigir até o final do ônibus, já que na parte reservada para militares o mesmo ficaria em pé. Logo após anunciarem o assalto, um dos criminosos o rendeu e atirou três vezes, atingindo a cabeça, o peito e o braço.

Após o crime, os acusados – dois homens e duas mulheres – pegaram a arma do militar e roubaram os pertences dos outros passageiros, descendo do ônibus logo em seguida e atirando por várias vezes nas janelas e no motor do automóvel. Manoel Cavalcante morreu no local.

O corpo foi levado para o IML de Maceió, já que por questão de localização, o Instituo da capital é responsável pela remoção do corpo. Durante a madrugada, após a chegada do cadáver em Arapiraca, foi iniciado o velório. O sepultamento está marcado para acontecer às 17h, no Cemitério Pio XII.