O jogador de futebol americano Antonio Brown, de 31 anos, acusado na última semana de estuprar sua ex-treinadora Britney Taylor, teria adotado uma 'conduta sexual inapropriada', como classificou a denunciante, com uma segunda mulher. Uma artista, que preferiu não se identificar, contou à revista Sports Illustrated que o atleta apareceu completamente nu no cômodo onde ela pintava um trabalho encomendado por ele. O jogador foi anunciado como reforço do New England Patriots, atual campeão da NFL com o astro Tom Brady, no início do mês.

A revista traz relatos de 24 ex-funcionários de Antonio Brown , que afirmam que o jogador tem "um padrão de comportamento bizarro". De acordo com a mulher, Brown teria participado de um leilão no qual a artista vendia uma pintura dele. A partir disso, ele se interessou por seu trabalho e a contratou para pintar um mural em sua casa.

"Eu estava com cerca de 40% do trabalho pronto no segundo dia e estava de joelhos pintando a parte inferior, e ele chega em mim com a bunda de fora, só com uma toalha cobrindo seu pênis e começa a ter uma conversa comigo", disse ela. "Infelizmente, eu fui abordada inapropriadamente por homens várias vezes, então mantive a calma e continuei pintando. Depois disso, a relação acabou abruptamente", afirmou à revista.

A revista diz ainda que, embora tenha se sentido muito incomodada com a postura do jogador, a artista não pretende processá-lo ou buscar qualquer compensação financeira. Essa decisão, porém, não é unânime. A Sports Illustrated afirma ter obtido acesso a 12 processos nos quais o jogador é acusado de não pagar seus funcionários. Além disso, os trabalhadores disseram que o jogador tratava-os muito mal, chegando, por exemplo, a pedir para que seus funcionários não o olhassem nos olhos.

Em resposta, Antonio Brown disse que se limitaria apenas a negar a acusação da mulher. No caso da treinadora, a defesa afirma que a relação foi consensual e diz que os dois pararam de se falar após Brown recusar uma proposta de negócios feita por Taylor.