Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

País com maior número de medalhas no vôlei de praia em Jogos Olímpicos, com 13 (três ouros, sete pratas e três bronzes), o Brasil conheceu nesta quarta-feira (16) seus representantes em Tóquio 2020. Alison/Álvaro Filho e Evandro/Bruno Schmidt estão garantidos no masculino, assim como Ágatha/Duda e Ana Patrícia/Rebecca, no feminino.

A definição aconteceu porque a Federação Internacional de Voleibol (FIVB) divulgou o calendário do Circuito Mundial 2019/2020. Não haverá mais possibilidades de outros times alcançarem os qualificados na corrida olímpica.

A disputa por uma vaga no Japão foi iniciada em fevereiro deste ano, levando em conta os pontos obtidos nas etapas quatro e cinco estrelas do Circuito Mundial, além do Campeonato Mundial, com pesos correspondentes. As equipes tiveram a possibilidade de descartar as pontuações mais baixas, somando os 10 melhores resultados obtidos durante a temporada.

O prazo final da corrida olímpica brasileira segue até fevereiro de 2020, mas, conforme calendário do ano que vem, haverá apenas uma etapa válida para esta disputa – o evento quatro estrelas de Chetumal, no México, em novembro deste ano. Com a vantagem obtida atualmente, os dois primeiros colocados de cada naipe estão assegurados.

Alison e Álvaro estão em primeiro, com 5.600 pontos na média dos 10 melhores resultados. Evandro/Bruno Schmidt aparecem atrás, com 5.500 pontos. No feminino, Ágatha/Duda alcançaram 6.320 pontos, enquanto Ana Patrícia/Rebecca ficaram com a segunda vaga, somando 6.150 pontos.

A corrida olímpica interna das duplas brasileiras acontece em paralelo à disputa da vaga do país, que segue as regras da Federação Internacional de Voleibol (FIVB). Cada nação pode ser representada por, no máximo, duas duplas em cada naipe.

Os países possuem quatro maneiras de garantir a vaga: vencendo o Campeonato Mundial 2019; sendo finalistas do Classificatório Olímpico, que será disputado na China, também em 2019; estando entre as 15 melhores duplas do ranking olímpico internacional; vencendo uma das edições da Continental Cup (América do Norte, América do Sul, África, Ásia e Europa). O Japão, sede, tem uma dupla em cada naipe já garantida.

Atualmente, os quatro times brasileiros figuram entre os 15 melhores do ranking olímpico da FIVB. Alison/Álvaro é o terceiro colocado, e Evandro/Bruno aparece em quarto. No feminino, Ana Patrícia/Rebecca aparece em primeiro, com Ágatha/Duda em quarto. O ranking olímpico da FIVB termina em 14 de junho de 2020.

A lista brasileira terá quatro atletas estreantes e outros quatro que já disputaram ao menos uma edição dos Jogos Olímpicos. Álvaro Filho, Ana Patrícia, Duda e Rebecca terão em Tóquio a primeira experiência no evento.

Alison disputará sua terceira edição, tendo conquistado prata em Londres-2012, com Emanuel, e ouro com Bruno Schmidt, em 2016. Ágatha e Evandro também estiveram nos Jogos Olímpicos do Rio. A paranaense ficou com a prata, ao lado de Bárbara Seixas. O carioca ficou nas oitavas de final, ao lado de Pedro Solberg.