EC BBahia Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

O retorno de Marco Antônio ao time do Bahia não poderia ser melhor. Sem atuar desde janeiro, o meia, que esteve em campo durante 23 minutos no triunfo diante do Grêmio, em Porto Alegre, foi responsável por fazer a jogada e sofrer o pênalti marcado pelo VAR, convertido por Arthur Caike.

Em coletiva realizada na tarde desta sexta-feira, 18, Marco Antônio agradeceu a oportunidade de voltar a atuar com a camisa tricolor. Ele havia ficado quase nove meses sem participar de um jogo oficial após e recuperar de uma fratura no pé e, posteriormente, por opção do técnico Roger Machado. A última vez que o meia entrou em campo foi contra o Bahia de Feira, pelo Baianão.

"Queria agradecer a Deus pelo jogo que eu fiz, entrando 20 minutos, e pude ajudar minha equipe com um pênalti. Arthur soube aproveitar também. Ficar oito meses, sete meses sem jogar é difícil para um atleta. Não é diferente de minha parte. Treinei, trabalhei, nunca murmurei de nada. Sempre entendi a vontade do professor, que conversava comigo", relembrou.

Mesmo no banco de reservas, o meia fez questão de rasgar elogios a Roger e exaltou a capacidade dele de gerir o grupo. O atleta também falou sobre as pretensões da equipe no restante da temporada.

"Roger é um cara experiente, que sabe lidar com todo mundo. Trata todo mundo igual, independentemente de estar jogando ou não. O que ele passa é algo muito bom para a gente entrar leve, fazer a tática que ele quer. Se quer algo grande, vai ter que correr. Roger é um cara extraordinário, porque sabe lidar com todo mundo. Libertadores? O que ele fala é que é mais para frente, a gente tem que pensar no hoje", garantiu.

Se o importante é pensar no presente, o próximo compromisso do Esquadrão será na segunda, 21, diante do Ceará, em partida que será disputada no estádio de Pituaçu. Para o confronto, Marco Antônio estará à disposição do técnico. No entanto, o meia corre por fora na disputa pela vaga de titular no setor, que tem o venezuelano Alejandro Guerra como primeira opção.

"Campeonato Brasileiro não tem jogo fácil. Vai pegar time que está ali embaixo, que está ali em cima. Ceará não vai ser diferente. Vai vir com toda força para tentar nos surpreender. A gente conta com a força de nossa torcida, como sempre vem fazendo. Temos que chegar lá, impor nosso ritmo, porque sabemos que vai ser um jogo muito difícil, muito corrido", concluiu.