Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

O sucesso recente de treinadores estrangeiros no futebol brasileiro tem aumentado o interesse de clubes por esse perfil de profissional e o próximo a desembarcar no país poderá ser o uruguaio Gastón Machado, de 62 anos.

Com passagens marcantes por clubes uruguaios como Racing, Wanderers, onde conquistou uma vaga na Libertadores, Danúbio, onde conquistou uma vaga na Copa Sul-Americana, além do Boston River, seu último clube, Gastón admite a vontade de treinar um clube brasileiro. “Eu conheço bem o futebol brasileiro. Quando jogador atuei pelo Esportivo-RS. Tento assistir todos os jogos possíveis e leio muito sobre o que está acontecendo no Brasil. Existe sim essa vontade e meus representantes estão trabalhando para que a gente possa ter uma boa novidade”, revelou o treinador.

Sobre o desempenho de Jorge Jesus e Sampaoli, Gastón acredita que essa troca de experiências é benéfica para ambas as partes. “Leio muitas coisas dizendo que os treinadores brasileiros estão ultrapassados e que precisam se reciclar. Não vejo o sucesso dos Jesus e Sampaoli dessa forma. Acredito que eles estão implantando um método de trabalho diferente, com um estilo de jogo altamente ofensivo. Os treinadores brasileiros são extremamente competentes e acho que os estrangeiros chegam apenas para somar ao futebol do país. A repercussão do desempenho do Flamengo, por exemplo, está absurda. Isso acaba atraindo a atenção do mundo todo para o futebol brasileiro e faz com que todas as outras equipes tentem superá-los ou jogar da mesma forma”, analisou o uruguaio.

Em Montevidéu, onde reside, Gastón Machado aguarda o desenrolar das negociações para poder anunciar seu novo desafio já visando 2020. “Estou na expectativa. A vontade de retornar ao Brasil, agora como treinador, e iniciar um trabalho é muito grande. Espero que tudo caminhe da melhor maneira possível e que em breve eu possa anunciar o meu destino”, finalizou o treinador.