Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

O goleiro Bruno Fernandes criou um perfil no Intagram, no início desta semana, no qual compartilha fotos de sua rotina após ter deixado a cadeia. ELe ficou preso durante seis anos pela morte da modelo Eliza Samúdio e em julho deste ano ele ganhou o direito de cumprir pena em casa. Bruno mora atualmente na cidade de Varginha, em Minas Gerais. Até o fim da manhã desta sexta-feira, o goleiro tinha 1.865 seguidores na rede social.

Na conta criada, Bruno posta foto com a mulher, a dentista Ingrid Calheiros, exibe momentos de sua rotina na academia e em treinos de fiutebol. Ele também posta fotos com as filhas, duas delas do relacionamento com a ex-mulher, Dayanne Rodrigues Souza, e uma com Ingrid. 

Bruno também publicou uma foto ao lado de Ingrid e de sua filha com a dentista, relembrando o dia que voltou para casa. “Inesquecível! Cansados, exaustos e muito felizes”, escreveu ele. Além das três meninas, o goleiro tem um filho com Eliza , Bruno Samúdio, de 9 anos, que fica sob os cuidados da avó materna. Ele não tem qualquer contato com o menino.

No último domingo, Bruno postou um vídeo na conta treinando em sua posição de goleiro. “Porque o recomeço é muito melhor”, escreveu ele na postagem. Há dez dias, o Poços de Caldas FC rescindiu seu contrato com o atleta. Bruno disputou apenas uma partida pelo time, no dia 5 de outubro. Ele ainda não anunciou se jogará por um novo clube.

Bruno também compartilhou com os seguidores o vídeo de um jogo do Flamengo , seu clube antes de ser preso, com o Santos. Na gravação, são exibidas defesas feitas pelo goleiro na partida e também uma entrevista concedida por ele na ocasião.

A mulher de Bruno, Ingrid Calheiros, também mantém uma conta no Instagram na qual divide sua rotina com seguidores. Ela tem pouco mais de 6.400 seguidores. Logo após Bruno ter deixado a prisão, a dentista denunciou a criação e perfis falsos em nome do goleiro. O perfil criado pelo marido há poucos dias é seguido por Ingrid, que curte e comenta as fotos postadas pelo marido.

Bruno foi condenado a uma pena de 20 anos e 9 meses pela morte de Eliza Samúdio, que ocorreu em 2010. Bruno e Ingrid estão juntos desde 2008 e casaram-se oito anos depois, em 2016. As cerimônias civil e religiosa aconteceram na Associação de Proteção e Assistência ao Condenado (APAC) de Santa Luzia, em Minas Gerais, onde Bruno estava preso. O casamento reuniu 90 pessoas, entre eles, a avó de Bruno e os pais de Ingrid. Uma van levou 18 pessoas até a cadeia, entre elas uma banda.