Felipe Oliveira/Bahia Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

O Flamengo bateu o Bahia por 3 a 1 no último domingo, no Maracanã, e deu mais um passo importante para conquistar o título do Brasileirão. Apesar do placar final com dois gols de diferença sobre o Tricolor de Aço, o Rubro-Negro teve que lidar com algumas dificuldades na partida, entre elas, uma suposta "cera" do goleiro Douglas Friedrich, que acabou irritando alguns jogadores do time carioca.

Quando o jogo ainda estava 1 a 0 para o time baiano, Douglas ganhou tempo em algumas cobranças de tiro de meta, ganhando também alguns segundos a mais sempre que era possível, o que irritou alguns jogadores do Flamengo. Após o gol de empate do Fla, Bruno Henrique provocou o camisa 1 do Bahia, que após a partida, durante uma entrevista ao “Esporte Interativo”, explicou o ocorrido e fez uma alerta para a final da Libertadores, lembrando da tradicional catimba dos argentinos.

"Ele, e o pessoal da frente do Flamengo, estava chateado ali que, no entendimento deles, eu estava fazendo cera. Eu estava usando o meu tempo, porque o meu time acaba se desgastando muito para defender. E aí quando eles fizeram o primeiro gol, o Bruno Henrique virou pra mim e disse: "Agora faz cera" e tal, mas é na boa “, disse o goleiro, emendando na sequência.

“Da mesma forma que nós tentamos tirar eles do controle, eles também tentam. Falei para ele: “Olha, vocês não vão enfrentar o Bahia. Vocês vão enfrentar o River. Então, se você ficar incomodado com a cera do Bahia, você vai ter uma cera muito mais complicada. Uma cera argentina”. Nós demos risadas, de boa, porque faz parte do jogo”, finalizou o arqueiro.

"Ele, e o pessoal da frente do Flamengo, estava chateado ali que, no entendimento deles, eu estava fazendo cera. Eu estava usando o meu tempo, porque o meu time acaba se desgastando muito para defender. E aí quando eles fizeram o primeiro gol, o Bruno Henrique virou pra mim e disse: "Agora faz cera" e tal, mas é na boa “, disse o goleiro, emendando na sequência.

“Da mesma forma que nós tentamos tirar eles do controle, eles também tentam. Falei para ele: “Olha, vocês não vão enfrentar o Bahia. Vocês vão enfrentar o River. Então, se você ficar incomodado com a cera do Bahia, você vai ter uma cera muito mais complicada. Uma cera argentina”. Nós demos risadas, de boa, porque faz parte do jogo”, finalizou o arqueiro.