Susana Vera / Reuters Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

Neymar viu do banco o inicio da partida entre Real Madrid e PSG, na última terça-feira, que terminou em empate e garantiu o primeiro lugar do grupo ao time parisiense. Após a partida, o treinador da equipe francesa, Tomas Tuchel, afirmou que o brasileiro não ficou no banco por questões técnicas e que não teme uma possível saída do craque do clube por causa disso.

"Não, não tenho medo (de perder Neymar). Temos uma conexão. Somos honestos. Fizemos a mesma coisa com Kylian contra o Galatasaray. Ney vem de seis semanas de lesão, não era necessário se arriscar", declarou o técnico.

"Para mim, foi uma possibilidade para uma difícil partida com várias situações defensivas. Eu falei com ele honestamente. Todo mês, ele perdeu alguns dias. Eu tomei a decisão por ele, pela saúde dele. Não era o momento de mudar nossa estrutura", concluiu.

O comandante ainda falou sobre a partida pela penúltima rodada da primeira fase. Com o empate, o PSG chegou aos 13 pontos e não pode mais ser alcançado pelos merengues, que somam oito pontos na segunda colocação e também está garantido nas oitavas graças ao empate de Galatasaray e Brugge, que lutam agora pela vaga na Liga Europa.

"Real foi o melhor time por muito tempo. Jogamos um jogo complicado, não fomos velozes o suficiente, não simples o suficiente. Real jogou com mais confiança. Eles mostraram que esse é o time que ganhou três vezes seguidas a Champions. Tivemos um goleiro extraordinário, o Keylor Navas. Não é proibido, nós tivemos sorte", analisou.