Bispos negros querem conhecer as comunidades quilombolas no país

  • eduardocardeal
  • 30/04/2009 05:24
  • Brasil/Mundo

Um grupo de 13 bispos negros do Brasil querem conhecer melhor a situação dos povos quilombolas no país. Os religiosos participam da 47ª Assembleia da Confederação Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), em Indaiatuba (SP), desde quarta-feira (22) para discutir a formação religiosa dos padres no país e outros temas relacionados à Igreja Católica.

Os bispos pretendem apoiar suas lutas e reivindicações das 3.524 comunidades quilombolas em 24 estados brasileiros.

O encontro está acontecendo na Casa de Retiros Vila Kostka. Nesta terça-feira (28), os bispos apresentaram o relatório da Comissão Pastoral da Terra (CPT) sobre a violência no campo. De acordo com o levantamento, o número de conflitos diminuiu, mas 28 pessoas foram assassinadas em 2008. Segundo o documento, em 2007, a CPT registrou uma morte para cada 54 conflitos. Em 2008, uma morte foi registrada a cada 42 episódios de conflito.

Santos negros

O padre Ari Antônio dos Reis, coordenador do Grupo de Reflexão Teológica da Pastoral Afrobrasileira, quer saber quantos santos negros existem no mundo e quantos, no Brasil, estão em processo de beatificação.

No mês de outubro deste ano será realizado um seminário com os bispos negros para discutir a teologia que move a ação da pastoral afrobrasileira. No Brasil há 447 bispos dos quais 3% são negros.

Formação religiosa

Um dos objetivos do encontro é discutir a formação dos padres no país. No fim da assembleia, que será realizada no dia 1º de maio, um documento deve ser apresentado com as novas diretrizes apontadas pelos religiosos