Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

É prudente esperar pouco de uma partida de abertura de temporada. Quando quem está em campo é um time alternativo, repleto de jovens, há ainda menos esperança de um jogo fluído. Pois foi a isso que o torcedor assistiu neste sábado, na derrota do Botafogo para o Volta Redonda por 1 a 0.

Com o time principal sob as ordens de Alberto Valentim em Domingos Martins (ES), um apanhado de talentos da base orientados pelo auxiliar Bruno Lazaroni deu início ao Estadual. E todo o desentrosamento mostrou as caras, com muitos erros de passe e cruzamentos sem destino claro.

No primeiro tempo, o momento mais quente acabou sendo uma confusão, já nos acréscimos. Bochecha escapou de ser expulso após entrada dura em Pedrinho.

O Volta Redonda, mais entrosado porém igualmente sem inspiração, tinha dificuldades para entrar na área pelo chão, e também apelava para cruzamentos. Num deles, quase saiu na frente após Cavalieri — o único experiente do lado alvinegro — não achar nada pelo alto.

Melhor antes do intervalo, o Voltaço foi dominante no segundo tempo e teve ao menos duas chances claras antes de abrir o placar. Na primeira, o árbitro assinalou impedimento de Bernardo. Na outra, Pedrinho bateu na trave.

Água mole, pedra dura: aos 24 minutos, Saulo recebeu de Pedrinho e fez 1 a 0 pouco depois de entrar.

Do lado alvinegro, seguiu a sensação de que a maioria não sabia ao certo seu lugar em campo, com falta de sincronia especialmente no ataque. Entre tantos pontos fracos, salvaram-se a segurança de Diego Cavalieri e do zagueiro Kanu atrás.

— A maior dificuldade foi ter um pouco mais de calma. Nosso time era muito jovem, faltou um pouco da experiência de ficar mais com a bola — avaliou Bochecha, de 23 anos. — Mas passou. Sabemos que seria um jogo difícil. Agora, temos que descansar para, na terça-feira, tentar ganhar.

A turma que entrou em campo ontem seguirá representando o alvinegro na próxima rodada, às 16h, contra o Madureira, em Conselheiro Galvão, sob as ordens de Lazaroni.

Enquanto isso, os nomes mais importantes do elenco seguem a pré-temporada com Valentim no Espírito Santo. Amanhã, esses jogadores farão, contra o Vitória, o segundo jogo amistoso do ano.

O primeiro teste foi na sexta-feira, uma derrota por 1 a 0 para o Estrela do Norte. O técnico alvinegro viu pontos positivos na equipe, mas atentou para um antigo problema: a dificuldade para marcar gols.

— Precisamos melhorar muito. No ano passado, já era cobrado, mas agora começamos do zero. Temos que alternar a posse e chegar mais rápido ao gol adversário — afirmou o técnico.

Quem pode ajudá-lo a resolver essa questão é o atacante Pedro Raul, ex-Atlético-GO, que deu ontem a sua primeira entrevista no alvinegro e apresentou seu objetivo para a temporada: marcar pelo menos 10 gols.

— No ano passado, consegui bater a meta. Espero conseguir de novo — disse Raul, que balançou as redes 14 vezes com o Atlético-GO na última temporada.