Kid Júnior / SVM Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

O Fortaleza pouco produziu na estreia da temporada. Em 90 minutos contra o Vitória/BA, o time criou apenas duas chances de perigo e ainda viu o goleiro Felipe Alves segurar o empate em 0 a 0 no Barradão, pela 1ª fase da Copa do Nordeste. O desempenho não agradou ao técnico Rogério Ceni, que voltou a cobrar reforços para 2020.

“O time (do Fortaleza) é o mesmo até o meio-campo. O nosso forte sempre foi a velocidade, transição rápida, então estamos estudando mudar (a formação) ou então torcer pelas contratações, já que os que sugerimos estão empregados em outros clubes. Sugerimos sete, oito contratações desde dezembro, mas não deu, a gente não conseguiu”, declarou.

Para a atual temporada, a diretoria tricolor contratou o zagueiro João Paulo, os volantes Luiz Henrique e Michel, além do centroavante Edson Cariús. Ceni acredita que os nomes não são suficientes porque o time necessita de atacantes de velocidade pelos lados.

“Eu não dou prazo (para a contratação), sou funcionário (do clube). O David está com problema jurídico, o Marcinho está na China, o Edinho, o Atlético/MG não vai liberar. A realidade é que o Bahia, o Goiás… conseguem contratar jogadores que nós não conseguimos”, afirmou.

O próximo compromisso do Fortaleza é pelo Campeonato Cearense, com data e horário a definir. Pelo Nordestão, o Leão encara o Ceará, sábado (1º), pelo primeiro Clássico-Rei do ano. O jogo ocorre às 18 horas, na Arena Castelão.