Lucy Nicholson/Reuters - 24.2.2020

O site norte-americano 'TMZ' afirmou que Vanessa Bryant, viúva de Kobe Bryant, processou a empresa Island Express, dona do helicóptero que se acidentou no dia 26 de janeiro, culminando na morte do ídolo do Lakers, da filha do casal Gianna e de mais sete pessoas.

Segunda a publicação, o processo aponta que a aeronave só foi autorizada a voar sob regras visuais de voo, e as condições no dia do acidente não foram propícias, já que havia nevoeiro extremo e o piloto estava em condições ofuscantes antes do acidente.

O processo também diz que o piloto Ara George Zobayan , 'foi punido em 2015 por violar os mínimos de regras de voo visual, voando para um espaço aéreo de visibilidade reduzida' e que, no momento do acidente a aeronave estava a '280 quilômetros por hora no meio do nevoeiro, em um declínio acentuado nos momentos antes de cair em Calabasas, na Califórnia'.

Vanessa busca ainda 'danos punitivos', alegando que a empresa e o piloto foram imprudentes e que os danos para a família podem ser incalculáveis.

"O processo busca indenização por perda de amor , afeto, assistência, sociedade, serviço, conforto, apoio, direito a apoio, companheirismo, consolo ou apoio moral e expectativas de apoio e aconselhamento futuros. O processo também busca dinheiro para perda de apoio financeiro e despesas de enterro e funeral", diz trecho da publicação.