Ali Haider/EFE - 26.9.2019 Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Sebastian Coe é presidente Federação de Atletismo Mundial

O britânico Sebastian Coe, presidente da World Athletics (antigo nome da IAAF, a Associação Internacional de Federações de Atletismo), admitiu nesta quinta-feira a "possibilidade" de adiar e reprogramar a disputa dos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020 para o final deste ano por causa da pandemia do novo coronavírus, denominado covid-19, embora tenha dito que ainda é cedo para tomar uma decisão final.

"É possível. Tudo é possível neste momento", afirmou Sebastian Coe, durante uma entrevista para a rede de televisão britânica BBC, quando perguntado se os Jogos poderão ser disputados em setembro ou outubro. "Não é uma decisão para ser tomada neste momento, mas acho que a posição que o esporte assumiu e esse foi o sentimento da conversa que tive outro dia com o COI (Comitê Olímpico Internacional) e outras federações. É que ninguém diz que você deve ir adiante com os Jogos a todo custo".

Sebastian Coe, principal responsável pela realização da Olimpíada de Londres, em 2012, ressaltou que a mudança dos Jogos de Tóquio 2020 para 2021 acarretaria vários problemas. "No começo, pode parecer fácil, mas as federações aproveitam os anos que não são olímpicos para fazer as suas Copas do Mundo", disse.

O COI manteve na última terça-feira os seus planos de realizar os Jogos de Tóquio 2020 de acordo com o planejado - entre 24 de julho a 9 de agosto -, mas nos últimos dias os pedidos de adiamento do evento se multiplicaram.

Na mesma terça-feira, a Eurocopa e a Copa América de futebol, que aconteceriam em junho e julho deste ano, foram adiadas para 2021, enquanto que o torneio de tênis de Roland Garros, que aconteceria em Paris no final de maio e no início de junho, foi remarcado para setembro e outubro.

Na quarta-feira, o COI admitiu que "não há uma solução ideal" para os Jogos Olímpicos de Tóquio 2020 diante da pandemia do coronavírus.