Reprodução Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

Um jogador de beisebol da Nicarágua foi suspenso por um ano por se recusar a jogar com medo de contrair coronavírus e infectar sua família. Robbin Zeledón, de 21 anos, é o segundo melhor rebatedor da Primeira Divisão do país, e foi punido após solicitar sua saída do time.

Ele defendia o Brumas, uma equipe sediada em Jinotega, no norte da Nicarágua, que disputa a segunda melhor divisão, atrás da Liga Nacional Profissional de Beisebol. Zeledón, que era o melhor da equipe em sua posição, deixará de receber um salário mensal de 6.500 córdobas, cerca de um salário mínimo no Brasil.

A punição corresponde a decisão das autoridades locais de não interromper as atividades esportivas devido à pandemia de coronavírus. Por lá, o esporte não para, e o governo considera a medida desnecessária. A Primeira Liga de Beisebol também continua com seus cinco jogos por dia, embora todos sejam disputados com portões fechadas.