Foto: Arquivo pessoal Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

O ex-atleta de futebol e agora profissional na área da educação física, Claudinho Sarmento, bateu um papo com o MinutoEsportes, sobre o momento  de paralisação de eventos e atividades por conta da Pandemia do Coronavirus. O Personal avaliou o cenário financeiro e deu dicas para manter a forma neste período.

Na época de jogador, Claudinho atuou por diversos clubes do futebol brasileiro. Em Alagoas, ele jogou por CSA, CRB e Corinthians Alagoano, além de experiências internacionais, como a passagem pelo Gyeongnam, da Coréia do Sul. 

Claudinho avaliou o momento da paralisação das atividades como empresário. “O impacto para o empreendedor é muito significativo nesse momento. Com as atividades suspensas devido aos decretos do governo, ficamos impedidos de prestar serviços aos nossos clientes. Essa é uma situação atípica, por se tratar da pandemia mais forte dos últimos 100 anos, onde não temos parâmetros para nos apoiar. Acredito, como gestor, que não podemos nos dar o luxo de perder tempo, lamentando, se vitimizando, em relação a essa paralisação. Cabe a nós, encontrarmos soluções criativas para tentar continuar viabilizando o projeto nos próximos meses. O mercado digital parece ser a melhor solução para tentar amenizar os prejuízos dessa crise. O maior desafio é manter o fluxo de caixa, por não ter praticamente nenhuma receita para arcar com as altas despesas que continuam chegando nos próximos meses. Como um praticante de atividades físicas, tive que adaptar aos treinos em casa, sem uso de equipamentos. Mas a tarefa não foi tão complexa pois a alguns anos trabalho com uma metodologia de treinos que não utiliza máquinas, apenas o peso do corpo ou com auxílio de equipamentos”, avaliou. 

Como um ex-jogador, Sarmento falou como fica a cabeça de um atleta quando está parado, seja por contusão ou por uma razão como essa que estamos passando. 

“Em relação as contusões, é a pior situação que um jogador pode passar dentro do futebol. Se o atleta estiver em um clube que ofereça toda estrutura multidisciplinar (médica, psicológica, física) para dar o suporte necessário para a recuperação, tudo fica mais fácil, mas sabemos que poucos clubes oferecem essa logística. Em relação a parada devido a pandemia, é uma situação inédita onde todas as competições e treinos foram canceladas. Tirando os jogadores dos times grandes, a situação da maioria dos outros clubes e atletas é bem desconfortável por causa de toda indefinição financeira e sobre o retorno dos treinos e jogos”, disse. 

Claudinho deu algumas dicas para os atletas que não tem acompanhamento de profissionais nos seus treinamentos durante essa parada dos clubes. 

“Para os jogadores que não tem nenhuma orientação, o mais importante é tentar manter uma rotina de treinos mesmo sem as condições ideias. Normalmente os jogadores profissionais recebem um programa de treinos da comissão técnica para poder manter a condição física e não ter muitas perdas nesse período de “férias forçadas”. A tecnologia hoje em dia nos oferece opções para driblar esse isolamento forçado. Alguns jogadores investem em um trabalho individualizado com profissionais que trabalham com treinos online, oferecendo um serviço mais qualificado”, disse o profissional. 

Além da atenção para a alimentação, os atletas precisam ter cuidado com os exercícios realizados em casa, para não ter nenhuma lesão grave. Claudinho deu algumas dicas em relação a isso.  

“A atenção aos três pilares da saúde (treino, alimentação e sono) devem ser mantidos nesse período de quarentena. Dar prioridade a técnica dos exercícios, evitando exercícios mais complexos que possam causar lesões que seriam terríveis, afetando o lado psicológico, provocando um aumento da ansiedade. Pela indefinição das datas retorno aos treinos e jogos oficiais, o mais importante no momento é manter um condicionamento razoável com treinos aeróbicos e neuromusculares pois a maioria dos clubes devem realizar novas pré-temporadas”, disse.

E por último, Claudinho deixou a sua mensagem e o conselho para todos os atletas que estão em casa isolados, praticando atividades físicas e precisam de um apoio para afastar a ansiedade. 

“Continuem se movimentando com frequência, se alimentando bem, reservando um ou dois dias para descansar. Procurem profissionais de educação física que possam prescrever um planejamento de treinos específicos para cada atleta. Na internet existem todos os treinos possíveis, menos o SEU. Nesse momento, o mais importante é se manter treinando em casa (se possível), cuidando da saúde física e mental, se protegendo da possibilidade de se infectar e transmitir o Covid-19. Apesar de todos os prejuízos, sairemos mais fortes e preparados para os novos desafios que estão por vir”, finalizou.