Thiago Davino - Minuto Esportes Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Rafael Tenório - CSA

Diante da Pandemia do Coronavírus, os prejuízos financeiros se acumulam em diversos setores, incluindo o esporte. Em entrevista à Rádio CBN Maceió, o presidente do CSA fez uma amola análise do cenário e demonstrou grande preocupação, principalmente com o término do Estadual e a sobrevivência dos clubes alagoanos.


Rafael falou que não acredita na continuidade do Campeonato Alagoano, por conta do problema de datas e a questão financeira. 

“Eu acredito que não haverá continuidade do estadual, por falta de datas. A maioria dos clubes do interior não suportariam no máximo dois meses. O CSA só está respirando, por que eu sou um gestor que trabalho muito planejamento, fiz uma reserva de 2019. Ficamos com um saldo financeiro, que é o que vem sustentando o csa neste últimos três meses”, analisou. 

De acordo com o presidente, o CSA é contra jogar de portões fechados, o que acarretaria prejuízos financeiros.

“Portões fechados a gente só joga se for obrigado. Só se for uma determinação da CBF ou da FAF. Eu não posso prejudicar uma instituição. É impossível jogar de portões fechados. Tem que concentrar jogadores em hotel, os hotéis estão fechados, tem logística para pagar, ambulância, pessoal de segurança. O CSA descarta completamente a hipótese de jogar de portões fechados”, afirmou.

CENTRO DE TREINAMENTO

Mesmo diante de um Pandemia, o dirigente azulino também tem avaliou a questão estrutural do clube.

O CSA deixou o Mutange e se mudou para o Estádio Nelson Peixoto Feijó. O presidente azulino disse que a Braskem está cumprindo com o acordo firmado com o clube e comentou sobre a finalização das obras no novo CT. 

“A Braskem está cumprindo com tudo que foi firmado. Nós já recebemos parte da indenização. Vamos agora comprar o terreno para que possamos iniciar a construção do CT. O Nelson Peixoto Feijó até o dia 30 estará 100% pronto. Adaptamos todo o Nelson para as necessidades do CSA”, finalizou.