Foto: Arquivo Pessoal Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

A Pandemia do Coronavírus afetou a vida da população em todos os sentidos. Para quem pratica atividades físicas e esportivas não foi diferente, principalmente para aqueles que estão no grupo considerado de risco, para pessoas acima de 60 anos. O MinutoEsportes entrevistou personagens que tiveram a rotina alterada, mas optaram por seguir com hábitos saudáveis, para superar este momento difícil, em forma. 


De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), pessoas com diabetes, hipertensão, asma e acima dos 60 anos estão no grupo de vulnerabilidade ao Covid-19. Além disso há a recomendação para manter o isolamento social, lavar as mãos com frequência (pelo menos 20 segundos) e distância de pessoas com quaisquer sintomas similares ao Coronavírus. 

 

Além disso, integrantes deste grupo devem manter uma rotina de atividades físicas, esportivas, boa alimentação, hidratação e bom sono para reforçar as defesas do corpo. 


Dessa forma, o MinutoEsportes entrevistou dois personagens ativos na prática de atividades físicas e esportivas e que precisaram fazer ajustes neste período de pandemia. 

 

Francisco Araújo em atividade (Foto: Arquivo Pessoal)

Francisco Araújo, mais conhecido no meio do karatê como “Chicão”, tem 65 anos e pratica a modalidade nos últimos 48 anos. Faixa-preta 5º Dan, responsável pela Escola Budokan Ryu e diretor técnico da Federação Alagoana de Karatê Interestilos (Feaki), mostrou a sua nova realidade de atividades físicas. 

 

O máximo de cuidado possível, treino em casa, aulas em vídeo pra escola, só saio de casa com máscara, uso álcool 70% sempre, faço uma boa alimentação, trabalho toda parte física: alongamento, respiração, cárdio, força muscular, e muito treino. E o mais importante, seguir sempre orientação médica, e não de curiosos”, explicou. 

 

Neste período, além de cuidar da saúde, o professor vem atuando de forma produtiva, oferecendo aulas on-line para seus alunos. “Tenho feito materiais basicamente para a escola de karatê, especificamente para os alunos e outros materiais eu disponibilizo no youtube”, disse. 

 

Por fim, Chicão deixou o seu conselho para quem precisa se manter ativo durante o isolamento social. “É preciso seguir orientações médica, se proteger usando máscaras sempre, fazer caminhada e alongamento. Aqueles que não tem uma vida dedicada ao esporte, aproveitar o sol e se expor aos seus raios, pois o vírus não resiste a eles, estudos comprovados por cientistas médicos. E por fim uma boa alimentação, leitura e muita diversão em casa”, concluiu. 

 

Já conhecido no meio esportivo por praticar uma série de esportes como ciclismo, corrida de rua, triathlon, entre outras atividades, Gildo Santana de 68 anos, se deparou com a necessidade de ajustar os seus treinamentos, dentro de casa, mas não parou. Ele revela que o psicológico é fundamental para esse período. 


“Periodicamente captando informações acerca desse vírus. A partir dessas informações planejo meu comportamento psicológico. Isolamento com qualidade de  vida”, disse. 

 

Gildo Santana (de amarelo) em treinamento antes da Pandemia (Foto: A|rquivo Pessoal)

Há duas décadas praticando atividades, Gildo compartilha as experiências com iniciantes, através de um grupo criado e que ganhou centenas de participantes. 

 

“Grupo Ciclistas Corredores, uma equipe com propósitos não profissionais, mas voltado para incentivar as pessoas a saírem do sedentarismo.  A grande rede social tem dado uma condição fundamental para mantermos nossas ações lúdicas com a galera”, contou. 

 

Por fim, Gildo também deixou o seu recado para que as pessoas possam superar este momento difícil com qualidade. “Bom, de uma forma geral, fiquem em casa.  Quanto ao confinamento recomendo aos de idade avançada ter paciência, principalmente aqueles portadores de comodidades, e saia só para o necessário, seguindo as recomendações da OMS”, finalizou.