Divulgação Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

Em entrevista ao programa 'Troca de Passes', do canal SporTV, na noite deste sábado, o técnico Vanderlei Luxemburgo colocou o futebol em segundo plano. O treinador destacou o aumento do número de mortes no Brasil por conta do novo coronavírus e reiterou que não é o momento para a volta da prática do esporte, que está paralisado desde março.

- É uma pandemia mundial, onde morrem pessoas. Estão querendo forçar a volta do futebol porque os estádios estão vazios, não tem entretenimento e o futebol pode dar o 'start' para que outras empresas possam voltar. Não é problema de empresa, de política, é problema de morte. Estão morrendo pessoas, e a cada dia aumenta o número de pessoas morrendo no Brasil. É isso que as pessoas têm que se preocupar - disse Luxemburgo.

- O que está faltando no Brasil? Leito. Então, em vez de buscar voltar o futebol, porque não buscam os hotéis para fazer UTIs para que tenham mais leitos para as pessoas que vão precisar, para diminuir o número de mortes? Essas pessoas precisam de leitos. As pessoas estão chegando nos hospitais e não tem leito e respiradores. Eu não estou preocupado se o futebol vai voltar. É uma crise, e as pessoas estão preocupadas se o futebol vai voltar - completou.

O Brasil superou neste sábado a marca de 10 mil pessoas mortas pelo novo coronavírus. O boletim divulgado pelo Ministério da Saúde aponta que o país registrou 730 óbitos nas últimas 24h, chegando a 10.627 mortes confirmadas pela COVID-19. No total, são 155.939 casos confirmados da doença entre os brasileiros.

São Paulo é o estado mais afetado pela doença, tem 3.608 mortes por COVID-19 e 44.411 casos confirmados. O Brasil está apenas atrás dos Estados Unidos em número de mortes diárias e passou a ser o sexto com mais mortes por causa da doença no mundo.