reprodução Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Christian Varley (à esquerda) festeja seu feito: 19 maratonas em 19 dias

Um corredor da Ilha de Man, território britânico no mar da Irlanda, completou 19 maratonas em 19 dias para arrecadar dinheiro destinado ao combate ao novo coronavírus, conta a emissora "CNN". Christian Varley, de 35 anos, terminou a última prova de 42km entre a cidade de Peel e a capital da ilha, Douglas, em quatro horas e 39 minutos, nesta terça-feira.

Durante o teste de resistência de quase 800km, ele levantou mais de 83 mil libras (cerca de R$ 580 mil) para o Manx Solidarity Fund, instituição de caridade criada para ajudar pessoas e empresas que foram afetadas pela pandemia de Covid-19 na Ilha de Man. Varley - que recebeu mensagens de apoio de nomes como Mo Fara, fundista britânico campeão mundial e olímpico - mais do que quadruplicou sua meta inicial de 19 mil libras.

Na reta final, muita gente se aglomerou para aplaudir o corredor. "Que dia especial foi esse. Acho que terei dificuldades para superar essa façanha", disse ele à Manx Radio: "O lado da corrida está meio esquecido agora. A quantidade de pessoas fazendo barulho no fim, foi como se esse dia tivesse sido desenhado para mim. O apoio foi inacreditável. Eu sabia que haveria pessoas lá, (mas) não tinha ideia do que estava por vir. Nunca me emocionei tanto".

Varley contou que decidiu aceitar o desafio depois de testemunhar o "impacto devastador" que a pandemia teve na ilha de 84 mil habitantes. Houve 335 casos confirmados de coronavírus e 24 mortes, de acordo com a "CNN". Os moradores podem se reunir em grupos de até dez pessoas, mas as regras de distanciamento social permanecem em vigor.

Varley não é o único atleta inspirado a conquistar feitos épicos de resistência durante a quarentena. Em março, o francês Elisha Nochomovitz correu a distância de uma maratona em sua varanda de nove metros na cidade de Balma, em um período de sete horas. No mês passado, o chef e dono de restaurante Matt Louis correu 42km em uma esteira no dia em que deveria ter participado da Maratona de Boston, que foi adiada, para arrecadar dinheiro para os membros desempregados de sua equipe.

Também em abril, o alpinista britânico Rob Ferguson subiu e desceu os lances de escada de sua casa até completar a altura do Monte Everest, num desafio que durou 24 horas seguidas, para arrecadar fundos para uma instituição de caridade britânica que apoia os trabalhadores do NHS, o sistema público de saúde do Reino Unido.