Bruno Cantini/Atlético Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true Dívida do meia foi quitada pelo clube alvinegro

O Atlético quitou mais uma pendência financeira na Fifa. O alvinegro pagou ao Caracas, da Venezuela, R$734.503,00 pela compra do meia venezuelano Otero. O jogador chegou ao Galo por empréstimo em meados de 2016 e foi comprado definitivamente pelo alvinegro em abril do ano seguinte. Caso não pagasse a dívida, o Galo poderia ser penalizado com a perda de pontos no Campeonato Brasileiro.

“Mais uma conta paga. Quitamos, junto à FIFA, o valor de R$734.503,00, referente a contratação de Otero, junto ao Caracas, de 2016. Menos uma!”, publicou o presidente Sérgio Sette Câmara, no Twitter.

Embora estivesse no Huachipato, do Chile, Otero tinha os direitos econômicos ligados ao Caracas. Ele, aliás, foi formado no time venezuelano, no qual permaneceu até julho de 2015, quando foi cedido à equipe chilena por uma temporada. O dinheiro pago pelo Atlético foi referente ao mecanismo de solidariedade da Fifa, que garante parte dos valores de uma transação para o clube formador do atleta.

De acordo com o vice-presidente Lásaro Cândido da Cunha, o pagamento da dívida de Otero foi feito com dinheiro ganho em ação contra o Portimonense, de Portugal, pela contratação do atacante Bruno Tabata (clique aqui e entenda).

“Extraído do dinheiro que ganhamos da ação do caso Tabata, referente ação que movemos contra o Portimonense na FIFA!”, publicou Lásaro.

Otero chegou em julho de 2016. Em abril do ano seguinte, foi comprado pelo Atlético. Em 2018, já na gestão de Sérgio Sette Câmara, foi emprestado ao Al-Wheda, da Arábia Saudita, por 5 milhões de euros (cerca de R$ 21 milhões). Ele voltou ao Galo em 2019 e segue no clube. O meia de 27 anos tem 133 jogos e 26 gols pelo alvinegro.