Divulgação Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

Após divulgar uma nota oficial em que se posicionou a favor da volta aos treinos, o Flamengo retirou a marca da campanha adotada pelos clubes brasileiros para ajudar no combate ao novo coronavírus. O "de casa", simbolizado pela imagem de uma residência, estava ao lado do nome do clube das redes sociais e foi retirada após os torcedores apontarem incoerência entre a atitude e o discurso rubro-negro.

A campanha tinha como objetivo conscientizar os torcedores a ficarem em casa em razão da pandemia do novo coronavírus. No Twitter, diversas equipes das Séries A e B do Campeonato Brasileiro adotaram a imagem de uma casa ao lado do nome para fazer campanha.

O Flamengo, porém, mudou de posição e se manifestou publicamente a favor do retorno das atividades esportivas. A nota divulgada nesta quinta-feira foi assinada por Marcos Braz, Vice-presidente de Futebol, Bruno Spindel, Diretor Executivo de Futebol, Jorge Jesus, Técnico do time profissional, Márcio Tannure, Chefe do Departamento Médico e os atletas profissionais do Clube de Regatas do Flamengo.

O clube informa que os treinamentos foram retomados de fato na quarta-feira, dia 20, após avaliações. E que o Ninho do Urubu terá higienização diária para permitir que as atividades aconteçam com segurança.

Nesta quinta-feira, a secretária municipal de saúde, Ana Beatriz Busch, concedeu entrevista e afirmou que os treinos "físicos ou táticos" não estão permitidos.

- O retorno aos treinos, físicos ou táticos, ainda não está permitido, ao menos até o próximo dia 25, quando vamos rediscutir. O médico (Dr. Tannure) ficou de levar à presidência e nos dizer o que está acontecendo lá de verdade. Nós ficamos sabendo pela imprensa. Há mecanismos de fiscalização que estão acontecendo. Nós temos certeza que o Flamengo, que é um grande parceiro do Rio de Janeiro, vai seguir a regra até o dia 25, quando voltaremos a conversar - informou, reiterando que há sanções previstas para o descumprimento.