Edilson Dantas/22.06.2019 Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true O presidente da Fifa, Gianni Infantino

Através de seu presidente, Gianni Infantino, a Fifa anunciou uma série de mudanças no calendário do futebol para os próximos meses. A começar pelas Eliminatórias da Copa do Mundo de 2022, a ser realizada no Qatar, que teve a rodada de abertura das etapas Sul-Americanas e Europeias mantidas para setembro deste ano — anteriormente, elas começariam em março.

Porém, a repescagem das Eliminatórias para o Mundial do Qatar sofreu alteração: passou de março de 2022 para junho de 2022. A Copa do Mundo está prevista para acontecer em dezembro daquele ano.

A Fifa também não confirmou que o Mundial de Clubes será realizado em 2020. O torneio deve acontecer no meio ou final de 2021, já com o novo formato, e o Flamengo, em tese, tem vaga garantida por ser o atual campeão da Libertadores. A entidade monitora as situações das competições continentais para depois decidir sobre o Mundial.

- Estamos analisando se o melhor é 2021, 2022, 2023. Tudo está aberto. O que é importante para mim, para a Fifa, é para ajudar quem precisa de ajuda. Espero que logo a gente possa decidir e anunciar quando o torneio será disputado. Mas agora a prioridade é outra, é ajudar - opinou Infantino.

O presidente também informou que a Fifa disponibilizou US$ 1,5 bilhão para cada federação nacional para repassar como empréstimos aos seus clubes em um fundo para enfrentar as consequências da pandemia da Covid-19.