Divuulgação Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

Tendo como principal elemento diferente a mudança de postura em relação a fabricação do uniforme (deixando de ter uma fornecedora para criar sua própria marca), o Ceará colhe resultados não apenas incríveis como, porque não, históricos em relação a venda de camisas.

Segundo informação do Departamento de Marketing do Ceará em levantamento do portal 'Globo Esporte', enquanto no ano de 2019 o clube atingiu a marca de 2.979 camisetas comercializadas considerando o período completo, somente na primeira metade de 2020 já foram mais de 57 unidades vendidas.

Não à toa o diretor de marketing, Lavor Neto, falou de maneira bastante contente e orgulhosa sobre os números alcançados atribuindo tanto a constituição da Vozão como as ações de divulgação promovidas de maneira mais intensa.

- O resultado do conjunto das ações comerciais e de marketing empreendidas na Vozão, nossa marca própria de material esportivo, demonstra que é possível se relacionar com a torcida para além das quatro linhas do futebol, e construir uma relação de orgulho e pertencimento. Um verdadeiro case de sucesso - detalhou o dirigente.

Quem falou também sobre o tema sem esconder até mesmo a surpresa com tamanho sucesso foi o presidente do Ceará, Robinson de Castro, para o 'Sistema Verdes Mares':

- Nós vendemos até agora 57 mil camisas. Tomei foi um susto. Vendemos isso tudo de camisa? Rapaz, tive uma informação ali que eu nem tinha, a quantidade de camisas que a gente tinha vendido ao todo, de dezembro pra cá. Em seis meses, vendemos mais camisas que nos últimos cinco anos. Se eu errar, é por pouco. Isso demonstra que a marca própria é um projeto campeão.