Enchente no Amazonas preocupa organização do Festival de Parintins

  • teresa
  • 09/05/2009 06:46
  • Brasil/Mundo
A enchente que já atingiu 42 das 62 cidades do Amazonas deixou os organizadores do 44º Festival Folclórico de Parintins em alerta. O evento está programado para acontecer nos dias 26, 27 e 28 de junho, na Arena dos Bois. A cidade está parcialmente alagada, mas a Secretaria de Cultura do estado garante que o cronograma será cumprido.

Na terça-feira (5), o barracão do Garantido ficou inundado, o que dificultou o trabalho dos artistas e operários na confecção das alegorias, de acordo com Rivaldo Pereira de Jesus, diretor de eventos do boi. "A Cidade Garantido [como é chamado o barracão] ficou ilhada, pois está em uma área de remanso e alaga com mais facilidade. Felizmente está tudo bem."
Jesus disse que as alegorias não foram atingidas pela água. "Apenas a base de algumas delas ficou molhada. Por sorte, usamos muito material sintético e isso pode ser seco rapidamente."

Segundo Lucy Santos, coordenadora do Festival Folclórico de Parintins, a programação não será alterada por causa das chuvas. "Muitos turistas estrangeiros já compraram pacotes para acompanhar o festival. Além disso, não há com o que se preocupar, pois o amazonense já está acostumado com a chuva. Por precaução, a prefeitura de Parintins também está fazendo obras para garantir o acesso das pessoas aos pontos alagadiços."

O Boi Caprichoso informou que vai seguir a programação para confecção das alegorias como o previsto. A área onde fica o barracão do boi azul não sofre tanto com as chuvas como a do o boi vermelho.
 Chuva no Amazonas

O Serviço Geológico do Brasil (CPRM) divulgou o segundo alerta deste ano sobre as cheias de Manaus. Os números do documento apontam que, se não superar a chuva de 1953, deverá ficar entre as três maiores.

O acompanhamento é feito no porto de Manaus desde 1902. Desde então, a maior cheia registrada no Amazonas ocorreu em junho de 1953, quando o Rio Negro atingiu 29,69 metros. Na quarta-feira (5), o rio atingiu a marca de 28,83 metros de profundidade, apenas 86 centímetros abaixo da enchente histórica. A Agência Nacional das Águas e Sistema de Proteção da Amazônia também aponta que o rio vai permanecer com cota acima de 29 metros, que é considerada alta, só baixando no início de agosto.