Vinnicius Silva/Cruzeiro Rs=w:350,h:263,i:true,cg:true,ft:cover?cache=true

A reunião de conciliação entre Cruzeiro e Mano Menezes terminou sem acordo. Na ação, distribuída na 42ª Vara do Trabalho, o comandante pede R$ 4.323.934. O encontro foi realizado de forma virtual. O técnico alega que o clube não cumpriu um acordo de aproximadamente R$ 1,9 milhão, quando ele foi demitido, em agosto de 2019, sendo que o seu contrato era válido até dezembro.

Além disso, pede uma série de outras indenizações. Veja a seguir quais são:

- R$1.349.424,11 de parcelas rescisórias;

- R$ 23.333,33, R$ 58.333,33 e R$ 66.666,67 e R$ 20.888,89 referente a diferenças sobre as parcelas rescisórias, considerando o salário base de R$ 600.000,00;

- R$700.000,00 para pagamento das diferenças salariais relativas à cláusula 5.1 do contrato de trabalho onde o valor do salário bruto deveria ser de R$600.000,00;

- R$ 199.597,00: saldo de salário do mês de junho de 2019;

- R$ 362.903,00: saldo de salário do mês de julho de 2019;

- R$ 600.000,00: multa do artigo 477,§ 8º, da CLT;

- Caso o Cruzeiro não efetue o pagamento de todas as parcelas incontroversas, na primeira audiência, seja o mesmo condenado ao pagamento da multa do artigo 467 da CLT, no montante de R$ 876.249,90;

- R$69.537,77: diferenças de FGTS correspondentes aos salários sem o reajuste previsto na cláusula 5.1 do contrato de trabalho desde janeiro/2019 até a rescisão e ainda, de diferenças sobre as rescisórias;

Além deste processo, Mano Menezes também solicita R$ 1.011.274,23 por direitos de imagens, referentes aos meses de abril, maio, junho e julho de 2019. Neste valor, já estão acrescidos juros e correção monetária.