Casos suspeitos de gripe suína no País caem para 18

  • gilcacinara
  • 10/05/2009 14:45
  • Brasil/Mundo

O Ministério da Saúde informou que os casos suspeitos de gripe suína no País caíram de 30 no sábado para 18 neste domingo. Com isso, passou para 156 o número de casos descartados pelos exames laboratoriais, mas 25 ainda seguem em monitoramento (pessoas que chegaram de países afetados ou não que apresentam alguns sintomas).

Os casos suspeitos estão nos Estados de São Paulo (6), Rio de Janeiro (2), Minas Gerais (1), Paraná (1), Distrito Federal (3), Santa Catarina (1), Pernambuco (2), Ceará (1) e Rondônia (1). Até o momento, seis contaminações por influenza A (H1N1) no Brasil foram confirmados pelos laboratórios da Fiocruz (RJ) e Instituto Adolfo Lutz (SP).

Os casos confirmados são de brasileiros, sendo cinco adultos jovens e uma criança. Dois casos são de São Paulo, dois do Rio de Janeiro, um de Minas Gerais e um de Santa Catarina. Três estiveram recentemente no México e dois nos Estados Unidos.

Com um único caso confirmado de transmissão dentro do território nacional, o Ministério da Saúde considera que não há evidências de sustentabilidade da transmissão de pessoa a pessoa do vírus. No sábado, o órgão confirmou suspeita sobre a mãe de um dos infectados, que foi isolada no Hospital do Fundão, no Rio de Janeiro, e recebe tratamento.

O que é a gripe suína
É uma doença respiratória que atinge porcos causada pelo vírus influenza tipo A, que tem diversas variantes. Algumas das mais conhecidas são a H1N1, a H2N2 e a H3N2.

A gripe suína geralmente não atinge os humanos, e até então eram raros são os casos de contágio de pessoa para pessoa. A contaminação ocorre da mesma forma que a gripe comum, por meio de perdigotos (gotículas de saliva) lançados na tosse e espirros.

Sobre o recente surto que teve origem no México, a Organização Mundial de Saúde (OMS) confirmou que alguns dos casos registrados são formas não conhecidas da variedade H1N1 do vírus Influenza A.

Ele é geneticamente diferente do vírus H1N1 que vem atacando humanos nos últimos anos e contém DNA associado aos vírus que causam as gripes aviária, suína e humana, incluindo elementos de viroses européias e asiáticas.