Mário Lima

Em 1941 aconteceu um fato interessante envolvendo os tradicionais clubes da cidade. Um caso que mostra como era a rivalidade entre CSA e CRB. O clube azulino tinha sido campeão no ano anterior e o clube da pajuçara contratou alguns jogadores de outros Estados para reforçar sua equipe. O Interventor de Alagoas, Ismar de Goes Monteiro, achou que um jogo entre azulinos e alvi rubros, poderia arrecadar fundos para a campanha de ajuda aos leprosos. Em principio, o presidente do CSA, Paulo Pedrosa não aceitou participar do jogo. Achava que, naquele momento, o CRB estava muito melhor pelas contratações que havia feito. Dizia que o CRB queria vencer o campeão de qualquer maneira. Mesmo assim, aceitou comparecer ao Palácio dos Martírios para conversar com Interventor Góes Monteiro e o presidente do CRB Rui Palmeira. Devido as pressões recebidas pelo Interventor, e os conselhos de amigos, Paulo Pedrosa aceitou o desafio, mesmo contra sua vontade. Quando Rui Palmeira indicou para apitar a partida o tenente Hugo, o CSA  não aceitou. Para os azulinos, Hugo era torcedor do CRB e, deste jeito não tinha graça. A situação somente ficou calma  quando indicaram o major Mário Lima para apitar a partida.
 
O jogo foi realizado no mutange. O CRB estava estreando Miguel Rosas, Lisboa e Luiz Hamilton. No final. a grande supressa da tarde. Vitória do CSA por 3xO. O jogo foi realizado no dia 12 de outubro de 1941. Os gols do CSA foram de Pedrinho. Emiliano e Toscano. O juiz foi Mario Lima e o azulino ganhou com Palito. Raul e Nhô. Paurilio. Prazeres e Rui Craveiro. Clywton. Emiliano. Pedrinho. Sales(Toscano) e Murilo. O CRB perdeu com Lisboa (Periquito). Osvaldo e Miguel Rosas. Ventania. Gabino e Luiz Hamilton. Cão. Ramalho. Arlindo. Duda e Luiz Quirino.